Museu da Pesca 248 – O homem do jumping jig

Quando conheci o Osvaldo ele era o rei do JJ. Pincho não era com ele, tampouco o uso do camarão com jighead. Fizemos amizade e a partir daí em quase todas suas pescarias no Cunhaú o acompanhei.

Aprendi a eficiência dos JJ, bastante versáteis quanto à diversidade de espécies capturadas.

No começo das pescarias o guia era o Auricélio, e depois que ele saiu tornou-se também amigo e cliente do Jefferson Lima (Dé).

Outra característica do Osvaldo é que era fã incondicional do robalo, chegando até a não gostar muito da pescaria do tarpon.

Em algumas ocasiões o Auricélio pescava, à convite do Osvaldo, e foi assim que sua opinião sobre o camarão artificial com jighead mudou, pois o Osvaldo passou a constatar sua eficiência e usá-los como isca principal. Mas ficou nisso, os plugs passavam ao largo.

Deixe um Comentário

Sobre o autor

Marco Antônio Guerreiro Ferreira

 
Seções
Facebook
Twitter
Instagram