De volta ao Mutuca 02

Como falei no capítulo 01, o primeiro grupo a entrar no Mutuca foi a “Turma dos Chegados”, da qual faziam parte o Guila e eu.

Com esse destino já incluído em nossa programação, no ano seguinte coube ao grupo do Romeu Konell e Gildo Hornburg abrir a temporada naquele local.

Naquele tempo as pescarias no Miss Bebel já estavam operando com a inclusão de guias piloteiros em cada embarcação. Anteriormente, as duplas de pescadores não contavam com esse serviço. A coisa foi evoluindo e a necessidade de guias acompanhou o processo. Normalmente usávamos pessoal da região, que íamos treinando para atender os clientes.

Nessa pescaria fiquei responsável pela dupla Romeu/Gildo, pois já conhecia um pouco a região, mas foi nessa ocasião que conhecemos juntos o rio Jatuarana, afluente do Mutuca.

Recebi o pessoal de madrugada no porto e partimos. Na primeira noite o pessoal fez questão de conhecer os jacarés da região, para entrar no clima, e na manhã seguinte estávamos a postos para iniciar a aventura haliêutica.

Sempre gostei de gravar minhas pescarias por esse Brasil afora, menos quando era guia, por força de ofício, ou então por estar com equipamento quebrado. Nessa ocasião atendia os dois requisitos.

Por sorte o Romeu tinha levado uma câmera Hi8mm, e perguntou se eu podia gravar a pescaria. A partir daí acumulei as funções de guia e cinegrafista, ambas com prazer. O único problema foi que ele tinha levado apenas 4 fitas, de uma hora cada, e assim deixamos de gravar muitas capturas, mas o resultado foi excelente. Tempos depois, já em Jaraguá do Sul, ele me enviou as fitas para copiar e assim não perdi o registro dessa aventura.

A seguir vou postar as pescarias por partes, para não cansar, e qualquer dúvida estou à postos para esclarecer.

Deixe um Comentário

Sobre o autor

Marco Antônio Guerreiro Ferreira

 
Seções
Facebook
Twitter
Instagram