Camurins e Camurupins da praia de Boa Viagem

Boa Viagem é o bairro da zona sul mais badalado de Recife – capital pernambucana – sua praia é conhecida pelas formações de arrecifes naturais que formam piscinas naturais para os banhistas. Atualmente, depois da construção do porto de Suape, estes arrecifes são barreiras naturais contra os ataques de tubarões.

Os arrecifes fornecem também excelentes pontos de pesca onde é comum encontrarmos o Camurim (Robalo Flexa) e o Camurupim (Tarpon).

Geralmente pescamos com a maré em movimento, seja enchendo ou secando, e com a água nos joelhos.
Também pescamos com a maré cheia em alguns locais estratégicos e com maré grande onde temos bons resultados com os Camurins.

Mesmo com a praia repleta de banhistas temos condições de pescar, pois como falamos antes, devido aos ataques de tubarões eles não tomam banho do outro lado dos arrecifes, facilitando assim a prática da pesca.

Sempre que soltamos algum exemplar é comum ouvirmos palavras de protesto das pessoas que ficam sem entender muito porque pescamos, fotografamos e soltamos.

Muitas vezes somos questionados: “Você pegou este peixe aqui?! Incrível!” Até nós mesmos ficamos pasmos com alguns exemplares capturados em plena praia urbana.

As principais condições para pesca são: água quente (o que é comum em boa parte do ano aqui no nordeste), vento brando e maré grande. Nestas condições conseguimos tirar bons exemplares.

Não é incomum quando estamos com a família e amigos sentados à beira mar tomando uma cerveja gelada e observando os arrecifes (coisa que só quem pesca faz!) vermos as ações dos Camurins e Camurupins atacando as Saunas e Manjubas.

Nessa hora bate uma vontade de correr, pegar a tralha e subir nos arrecifes, mas como são momentos dedicados a família ficamos só imaginando, sonhando…

Recentemente o amigo Alexandre Cardoso, frequentador do Fish Point teve em Boa Viagem, onde morou na sua adolescência, para matar as saudades.

Temos ações tanto com iscas de superfície como de meia água, já as de fundo raramente temos resultados.

O material que geralmente utilizamos é bem simples, composto geralmente por varas de 6’ a 7’ de ação rápida/extra rápida e carretilhas que suportem no mínimo 100m de linha 0,35.

Os arremessos para os Robalos (Camurins) são preferencialmente próximos dos arrecifes na agua “misturada” ou próximos das ilhas de sargaço, pois os Robalos costumam se esconder neles.

Já para os Tarpons (Camurupins) os arremessos são um pouco mais afastados dos arrecifes e no visual – da pra ver eles caçando ou vindo à tona colocando suas barbatanas para fora.

As iscas de meia água devem ser trabalhadas com recolhimento continuo lento e com paradinhas, já as de superfície com toques de ponta de vara (ponta para cima) com trabalho de zara e stick.

Os saltos dos Tarpons são fantásticos e chama a atenção dos banhistas na praia.

Para retirar os peixes da água, passamos para o lado raso dos arrecifes, ficando fácil lidar com eles depois.

Uma boa forma de mostrar que a pesca de praia pode ser muito produtiva e envolver peixes grandes e esportivos. Mãos à obra, mas não se esqueçam de soltar os peixes.

Complementando esta matéria leiam “Xaréus da praia de Boa Viagem“.


Comentários fechados.

Sobre o autor

Chrony Joseph

Chrony Joseph
Idealizador do Pesca Nordeste 
Curta
Seções
Cadastre-se
E-mail:
Estado:
Cidade:
Código:
 
Mapa dos Visitantes
Plugin from the creators of Macbook :: More at Plulz Wordpress Plugins